Por Nicolas Galhardo*

Scrum Master | Agilista | Facilitador |Voluntário | CSM,CSPO

Atualmente, vivemos na era da informação onde tudo muda o tempo todo, neste contexto V.U.C.A(Volátil, Incerto, Complexo e Ambíguo) a necessidade de adaptação e reinvenção das empresas é constante, a mudança de pensamento, estratégia , lançamento de novas idéias, produtos e serviços já não é mais o diferencial é uma REALIDADE que precisa ser absorvida em todos os aspectos.

“ O futuro já está entre nós, ele só não está bem distribuído.’’ William Gibson

Fala-se muito que com esse movimento de transformação que estamos passando um dos papeis dentro das organizações que sofreram e sofrem mais mudanças é o papel do Líder. As características que a média gestão possuía em outras décadas vem perdendo espaço no atual mercado de trabalho e então baixo rendimento,falta de engajamento e desmotivação são problemas frequentes nas equipes.

O Mindset da mudança precisa ser incorporado, com isso termos como “Liderança Criativa” e “Gestão 3.0” surgem trazendo com eles alguns dilemas. Há quem diga que não existe formula mágica para lidar com esses dilemas que a transformação nos impõe, mas ainda existe muita resistência em relação a está transformação.

Mas porque Resistimos ?

“Talvez porque executivos não entendam suficientemente sobre tecnologia para fazer as mudanças ou entenda a urgência necessária. Talvez porque os membros do conselho e investidores estejam mais preocupados com os resultados de curto prazo do que a viabilidade de longo prazo. Talvez seja ainda porque muitas lideranças (…) não têm a energia ou interesse em se engajarem nos tipos de mudança que serão necessários para adaptar a organização a um futuro do qual eles não vão participar.” Gerald C. Kane, Why Companies Don’t Respond to Digital Disruption, MIT Sloan Management Review, Janeiro 2018.

Então como reconciliar esses dilemas e enfrentar essa resistência ?

No livro “Dual Transformation”, Scott Anthony, Clark Gilbert e Mark Johnson propõem uma abordagem prática e sustentável para os líderes enfrentarem esse dilema da transformação dos negócios.Essa abordagem é divida em duas transformações :

Transformação A

Reposiciona os negócios hoje para maximizar sua resiliência, ou seja, essa estratégia foca em tornar o negócio atual cada vez mais eficaz para não se perder mercado.

Transformação B

Cria uma máquina separada de crescimento baseada em inovação e experimentação para desenvolvimento de novos negócios/produtos.

O elo “C” criado entre a interseção das duas transformações(A e B) mostra algumas características que esses novos líderes deverão desenvolver como : coragem, clareza, curiosidade e convicção além da mudança de COMPORTAMENTO que é sem dúvida um dos principais aliados nessa jornada. Afinal a forma de produzir, consumir e de se relacionar esta mudando radicalmente e de forma exponencial.

O maior perigo em tempos turbulentos não é a turbulência em si, mas agir com a lógica do passado. – Peter Drucker

Esse MIX de comportamentos,práticas e experimentação precisam ser incorporados no cotidiano, enfrentando as dificuldades e desafios que a palavra Líder impõe por si só, tanto no âmbito profissional quanto na vida pessoal pois somos líderes de nossas vidas, tomamos decisões de mudar ou permanecer como está o tempo todo, seja em relacionamentos, família, modo de pensar, agir, falar .

As organizações precisam ajudar na transformação desse novo perfil de liderança, dando condições para que o profissional evolua pois ambos remando na mesma direção ajudam a antecipar, atender e superar de uma forma ágil as expectativas dos clientes atingindo um patamar de sucesso.

Obrigado.

Se você é um líder em transformação , ou possui alguma história sobre o tema, compartilhe…vamos trocar conhecimento e experiências!

#dualtransformation #leadership #dilemas #liderança

Créditos: Dual Transformation: How to Reposition Today’s Business While Creating the Future – Hardcover – April 18, 2017