Já mencionamos aqui como as os processos ágeis podem ajudar no funcionamento das organizações. O Agile, como é conhecido esse conjunto de princípios, prega o protagonismo dos indivíduos e das interações, dos produtos e dos serviços, e propõe um novo paradigma organizacional: a colaboração com os clientes vale mais que o fechamento de novos negócios. Já o Agile Software Development (desenvolvimento ágil de software) empresta esta filosofia para uma área crucial da inovação e da criação de novos produtos – a engenharia de softwares. Para entender melhor como isso funciona, vale lembrar as principais características dos processos ágeis: 

– Capacidade para funcionar em ambientes turbulentos;

– Ideal para momentos de constantes mudanças, como novos concorrentes, produtos ou modelos de negócio;

– Indicado para equipes novas, que eventualmente não tenham trabalhado juntas em outras oportunidades;

– E, claro, a agilidade;

Essa capacidade de resiliência se deve ao potencial dos métodos ágeis em reduzir os riscos inerentes ao desenvolvimento de softwares. Enquanto nos processos convencionais as funcionalidades do programa são adicionadas apenas ao final do projeto, nos métodos ágeis as novas ideias são testadas ao fim de cada etapa – chamadas aqui de iteração. Como um dos pilares é a comunicação, os projetos são movidos a diálogos e feedbacks em tempo real entre todos os players. Ao final, além de softwares simples e intuitivos, o cliente obtém resultados rapidamente e com arquiteturas competentes, uma vez que são empreendidas por equipes diversificadas e multifuncionais. 

O papel ​do Scrum 

O Scrum é uma das metodologias ágeis mais disseminadas e que melhor recepciona o desenvolvimento ágil de softwares. Isso porque seu roteiro de procedimentos tem tudo a ver com as iterações. Os sprints (etapas normalmente mensais) ajudam a equipe a planejar o trabalho (Sprint Planning Meeting), que será avaliado diariamente (Daily Scrum). As funcionalidades são apresentadas em uma nova etapa (Sprint Review Meeting) e revistas no Sprint Retrospective. Ao final, o ciclo é reiniciado. O esquema funciona tão bem que já há muito tempo não é adotado apenas nas organizações, mas também no contexto do serviço público. Em 2015, o então Ministério da Fazenda ​utilizou técnicas de Scrum para elaborar a gestão das edificações do órgão público. 

Capacite-se! 

Temas como o Agile Software Development e as potencialidades do Scrum fazem parte da rotina de muitas empresas, e você e sua equipe podem conhecer melhor estes procedimentos nos treinamentos oferecidos pela Massimus. Se você quer transformar a cultura organizacional de seu time, os seus objetivos estão sintonizados com os nossos. Com programas certificados internacionalmente, a empresa chancela diariamente novos perfis de gestores e colaboradores, cada vez mais integrados ao espírito de liderança, colaboração e retorno imediato. Para fazer parte dessa transformação organizacional por meio do Agile Software Development (ASD), basta clicar aqui.

× Como posso te ajudar?