fbpx

Colaboração é a palavra de ordem nos ambientes de criação digital. Dificilmente um projeto é executado sem a participação de vários atores, cada um com sua competência específica e seu conhecimento agregado ao longo do tempo. Mesmo com esse espírito colaborativo, muitos projetos acabam não dando certo porque o tempo empregado é muito extenso, e parte das ideias se torna obsoleta. Se você já passou por isso, precisa conhecer o conceito de Lean Inception, que vem revolucionando processos de criação na indústria.

Apresente algo viável

Criado há menos de cinco anos, Lean Inception usa conceitos-chave hoje no mercado: o Mínimo Produto Viável (MVP), o ciclo de aprendizado de uma Lean Startup (aprender, construir, medir) e o ciclo do Design Thinking (usuário, jornada, ação).

Trata-se de uma forma de descoberta simples do produto, processo, serviço ou solução, no decorrer de uma semana, que já pode ser posto para utilização pelo(s) usuário(s), ajudando a aprender rapidamente sobre a ideia e viabilidade da mesma. 

O MVP determina de quais funcionalidade ou componentes básicos e essenciais o produto necessita, de modo que já possa ser comercializado (colocado em produção) pela empresa. Com esse conjunto de funcionalidades essenciais aprovado, o time ganha mais tempo para adaptar dentro das rotinas de trabalho e dos Sprints (se o Método Ágil adotado for o Scrum) as demandas de melhorias apresentadas pelos clientes e pelas equipes gestoras.

A principal vantagem do Lean Inception é que a etapa crucial para desenvolvimento do produto, que é a criação, ocorre mais eficazmente, tranquiliza os contratantes e prepara o time para a execução.

Onde entra a colaboração?

Com a palavra, o criador do Lean Inception, Paulo Caroli: “Lean Inception é o nome dado ao workshop colaborativo para alinhar um grupo de pessoas sobre o produto mínimo viável a ser construído”.

Este método, portanto, dá nome ao procedimento que antecede a criação, que pode ser uma reunião ou um workshop durante o qual as funcionalidades básicas serão definidas. Para quem usa Scrum ou Kanban, fornece uma metodologia eficaz para construção do backlog do time ou do produto a ser construído. Nem é preciso dizer que se trata de um encontro essencial para o êxito do projeto. 

Ao final deste processo preliminar, o cliente receberá não uma solução para o problema, mas um esboço competente que responde às principais perguntas do projeto e prognóstica quais as etapas subsequentes. Ou seja, o time consegue apresentar uma espécie de roadmap atual e rápido, que dali em diante receberá adaptações.

Quem participa?

Essa pergunta é fundamental. Como se trata de uma obra coletiva, o time que participará do Lean Inception deve ser decisivo e composto por todos os interessados no produto final: clientes, desenvolvedores da solução, pessoas de negócio, demais stakeholders. Importante lembrar que alguém neste grupo deve ter a palavra final e cuidar, principalmente, para que o workshop não se estenda além do planejado. Afinal de contas, estamos falando de um processo que otimiza tempo justamente para não tornar as soluções obsoletas.

Por meio de Educação a Distância (EaD) e treinamentos presenciais, a Massimus capacita novos gestores e times para implementação do Lean Inception em seus procedimentos, ensinado pelo próprio criador da metodologia para garantir a qualidade da ideia. A formação é ideal para líderes e interessados em agilizar ainda mais a fase de criação e descoberta da solução, a fim de organizar o time e destinar tempo para o que realmente a execução do trabalho.

× Como posso te ajudar?