Assinado em 2001, o Manifesto para o Desenvolvimento Ágil de Software revolucionou a cultura organizacional de muitas corporações. Ao contrário do que muita gente pensa, contudo, os métodos ágeis não estão mais circunscritos apenas à rotina da programação – e hoje já são adotados em várias companhias que se valem de um ou mais pilares da cultura ágil. Vamos lembrar deles?

  • “Indivíduos e interações mais que processos e ferramentas”;
  • “Software em funcionamento mais que documentação abrangente”;
  • “Colaboração com clientes mais que negociação de contratos”;
  • “Responder a mudanças mais que seguir um plano”;

Como percebemos no dia-a-dia, muitas atividades econômicas, áreas do conhecimento e carreiras levam essas diretrizes em suas rotinas, razão pela qual a metodologia ágil já superou há muito tempo a exclusividade do desenvolvimento de softwares. Há exemplos de bancos, empresas de monitoramento, startups, produtores de jogos digitais e firmas de gestão de pessoas que já adotam esses procedimentos.

No caso dos recursos humanos, por exemplo, as técnicas ágeis podem ser aplicadas nos processos de delimitação das vagas, recrutamento de profissionais e prospecção de novos talentos. Na medida em que a empresa sabe o time que quer formar, fica mais fácil estabelecer processos rápidos de seleção: é possível, por exemplo, suprimir a necessidade de entrevistas com todos os candidatos, apenas com uma triagem mais competente dos currículos. Reuniões diárias – uma das sugestões do Scrum – podem dar aos responsáveis pelo recrutamento uma noção mais clara sobre o perfil dos concorrentes que buscam pelo cargo ofertado.

Todos os portes

Cada vez mais em evidência, os clubes de assinatura de serviços, na maioria das vezes ligados a dispositivos móveis, são pequenas ou médias empresas para as quais as metodologias ágeis têm sido muito úteis. Ao estabelecer uma rotina eficiente e enxuta de definição de público-alvo, captação de clientes e distribuição, a empresa consegue atingir o que o cliente mais almeja neste mercado: a rapidez.

Um outro case conhecido é o da Toyota, famosa pela criação da técnica Kanban – modelo que ajuda a equipe a visualizar as tarefas a serem executadas por meio de uma distribuição espacial alternativa das atividades. À equipe, cabe respeitar o fluxograma de trabalho e propor adaptações, sempre que necessário.

Ligadas ao desenvolvimento de softwares, as plataformas de educação a distância podem e devem aderir à cultura ágil. Ao desburocratizar processos e entender com competência as dificuldades dos alunos, os grupos pedagógicos conseguem otimizar o aprendizado por meio de sistemas informativos e intuitivos. E a técnica vai ao encontro do mercado atual: no ano passado, as ofertas de cursos em EaD aumentaram 17,6%, de acordo com o Censo da Educação Superior.

Outras áreas receptivas às metodologias ágeis

  • Instituições financeiras;
  • Marketing;
  • Serviços;
  • Indústrias criativas e inovação;
  • Gestão de marcas;
  • Setor público;

Se você procura capacitação para entender ainda mais sobre as metodologias ágeis, por mais diversificada que seja sua área de atuação, a Massimus pode ajudar você e sua equipe com treinamentos competentes e definitivos. Se quiser conhecer um deles, basta clicar aqui.  

 

× Como posso te ajudar?