Criado no início da  década de 90 como um método revolucionário de resolução de problemas e execução de projetos de software, o Scrum passa por atualizações eventuais. E não é para menos: estamos falando de um processo totalmente sintonizado com as novas demandas do mercado, razão pela qual seus idealizadores, Ken Schwaber e Jeff Sutherland, lançaram em 2017 a mais nova versão do Scrum Guide.

Trata-se de um guia simples e direto ao ponto que traz as principais inovações do Scrum. Aqui, você pode baixar a versão do manual em português gratuitamente.

No documento, os autores apresentam as principais funcionalidades deste método ágil:

  1. Pesquisar e Identificar mercados viáveis, tecnologias e funcionalidades de produtos; 
  2. Desenvolver produtos e melhorias; 
  3. Liberar produtos e melhorias frequentes, chegando a várias vezes por dia;
  4. Desenvolver e sustentar a Nuvem (online, segura, sob demanda) e outros ambientes operacionais para uso de produtos;
  5. Sustentar e renovar produtos;

Onde aplicar?

Estas metas podem ser aplicadas a várias áreas, e não apenas ao desenvolvimento de softwares, mas também em recursos humanos, redes de funções interativas, veículos autônomos, escolas, setor público, marketing, mobilidade urbana, entre outras atividades da produção de conhecimento e da economia.

Depois de muito se falar sobre Scrum – inclusive coisas pouco fundamentadas, os autores resolveram pacificar a questão no Scrum Guide ao mencionar a principal filosofia do método: a experiência com erros e acertos passados deve ser usada para tomar decisões com base no que é conhecido. Portanto, apesar de ser inovador, o método não pressupõe que a equipe vá reinventar a roda. Todos dão suas contribuições nas reuniões diárias (Daily  Scrum) para amortizar os riscos e aperfeiçoar o produto final.

O guia apresenta ainda as quatro etapas fundamentais de cada estágio do processo (sprint), que deve durar em média um mês: Planejamento do Sprint, durante a qual o líder (Scrum Master) e o responsável (Product Owner) dialogarão com a equipe a respeito das metas a serem empreendidas; Reunião Diária (Daily Scrum), que deve ser rápida e objetiva; Revisão do Sprint, com propositura de melhorias no produto em construção; Retrospectiva do Sprint, a partir da qual o time está apto para o próximo Sprint com a aplicação sistemática de kaizen de processo.

De acordo com o Scrum Guide, o Sprint é o “coração” do Scrum, e é por isso que essas etapas devem estar bem sintonizadas.

Definições

De um modo geral, a versão mais recente do Scrum Guide traz poucas alterações com relação ao documento de 2016. A seção de reuniões diárias foi atualizada, e agora é composta pelas seguintes perguntas – feitas pelos membros do time:

  • O que eu fiz ontem que ajudou o Time de Desenvolvimento a atingir a meta do Sprint? 
  • O que eu farei hoje para ajudar o Time de Desenvolvimento atingir a meta do Sprint? 
  • Eu vejo algum obstáculo que impeça a mim ou o Time de Desenvolvimento no atingimento da meta do Sprint?

Para ajudar sua empresa ou sua equipe a entender melhor os propósitos dos métodos ágeis, a Massimus tem vários treinamentos específicos para cada profissional envolvido, como o Certified Scrum Master. Você pode solicitar um atendimento personalizado no próprio site, para receber nossas propostas pedagógicas mais indicadas para o seu perfil.

 

× Como posso te ajudar?