Hoje em dia na maiorias das grandes empresas o assunto que está na moda e ganhando forças a cada dia é Transformação Organizacional (que muitas vezes é chamada equivocadamente de transformação digital).

Iniciativas que começaram na maior parte das vezes pela área de Tecnologia da Informação, através da implantação de métodos ágeis e adoção de frameworks diversos com um monte de paredes coloridas, cheias de post-its e radiadores de informação e vem despertando a atenção e interesse de outras áreas das empresas.

Apesar de muitos executivos seguirem a moda (ou aquele evento caro em Las Vegas que só falou de metodologias ágeis), outros mais engajados começaram a ver valor de negócio, pois estavam acostumados com um modelo gestão de projetos tradicionais (projetos atrasados, caros, com funcionalidades que não agregavam, time-to-market tardio e muitas vezes não respondia questões e dores dos clientes) e não imaginavam que poderia existir uma saída, ou até mesmo um fim para este “círculo vicioso”.

Rapidamente cresceram nas empresas os diversos papéis, como Scrum Masters, Product Owners, Agile Coaches etc… Sendo que em muitos casos eram dados papéis para profissionais que não tinham perfis adequados para assumirem tais responsabilidades.

Por que fazer uma transformação organizacional?

Para fazer mais, melhor, mais rápido e mais barato. As empresas precisam responder às mudanças mais rapidamente, serem mais flexíveis e adaptáveis ao novo momento do mercado, assim como as startups são.

Será que vai ser fácil?

Fazer uma Transformação Organizacional é sempre desafiador, por várias razões: A primeira é que somos por “padrão” resistentes a mudanças. O futuro é desconhecido e através de empirismo (experimentações) entre erros e acertos é que conseguimos coletar as informações necessárias para sua continuidade. Podemos ter uma estratégia de mudança, mas ela precisa emergir à medida que esses experimentos vão trazendo resultados e respostas.

Outro ponto muito importante é que para que a transformação realmente ocorra, precisamos mudar radicalmente o estado atual das pessoas e a cultura nas organizações para conseguirmos ter êxito.

Novo mindset, administração, modelo de gestão e comportamentos são fundamentais. Os executivos, líderes e todos os funcionários precisarão mudar suas visões para reinventarem os negócios.

E é nesse contexto que nós de TI pedimos encarecidamente ajuda para a área de Recursos Humanos para serem protagonistas durante esse processo.

RH, as empresas estão sangrando, só vocês poderão ajudar!

Tecnologia sempre será importante no contexto das empresas, só que desde cedo os profissionais de TI aprendem a lidar com computadores, redes, linguagens de programação, afinal, eles vêm da área de Exatas. A maioria dos profissionais de TI, pela própria necessidade e para dar um salto nas suas carreiras, começaram a ter que cada vez mais buscarem cursos, treinamentos complementares para aprender como lidar com pessoas, estamos melhorando, sem dúvidas, mas vocês RH, nasceram e estudaram a vida inteira para lidar e trabalhar com pessoas.

Chegou a hora mais do que nunca de assumirem o protagonismo dessa tão sonhada e necessária transformação organizacional, pois se isso não começar logo e as empresas não derem o devido valor em breve serão engolidas pelas startups que já nascem com tudo isso no seu DNA.

Recursos Humanos, longe de querer generalizar, mas deixem de ser apenas Departamento Pessoal, de cuidar de metas e bônus anuais de gerentes e diretores, de verificarem quem falta ou quem está fazendo home-office, ou de colocarem móveis bonitos, salas de jogos e nos ajudem a quebrar os silos hierárquicos que só atrapalham, precisamos que todas as áreas e departamentos trabalhem cada vez mais juntas, vamos identificar as pessoas para assumirem os papéis de relevância e de agentes de mudança, nós de TI estaremos juntos para apoiá-los.

Nos ajudem a mudar os maus hábitos que inundam as empresas, pois somente com mudanças de hábitos e comportamentos é que começaremos pra valer com essa transformação.

Concluindo

Transformação começa sempre com pessoas, precisamos ter claramente uma estratégia de transformação, que seja implementada, medida e que a cada ciclo tenhamos pontos de aprendizado para se auto-ajustar continuamente.

Que o RH, contrate ou treine, pessoas para esse processo, time realmente engajado com a Missão, Princípios e Valores da empresa, que queira de fato fazer parte e colaborar para o crescimento, contribua ativamente como agentes de mudança, dissemine um Growth Mindset (Mentalidade de Crescimento), que sejam resilientes e se adaptem rapidamente a um mundo cada vez mais Volátil, Incerto,Complexo e Ambíguo.

Vamos sair das salas de reuniões, nos levantarmos das cadeiras e vamos para as trincheiras trabalharmos todos juntos. Enquanto não entendermos que precisamos uns dos outros para mudar esse cenário, continuaremos sempre nos lamentando sobre as segundas-feiras e as empresas sendo cada vez mais “engolidas” pelas startups.

Gostaria de recomendar um excelente artigo escrito por um grande amigo também sobre a transformação organizacional e o “jogo” da transformação nas empresas e quem deve protagoniza-lo. (Game of Transformation Dentre os “7 reinos”, qual “área” da empresa precisa protagonizar a real transformação?) Artigo escrito com muito bom humor e fazendo comparativos das grandes empresas com a série Game of Thrones.

Vamos discutir o tema com a comunidade, compartilhe, comente sua experiência, dê like no artigo para ele ganhar relevância, vamos falar sério sobre o tema.

Precisa de ajuda no processo de Transformação Organizacional na sua empresa? Vamos tomar um café e conversar mais sobre como podemos estruturar juntos este processo!

 

Ricardo Bruno Alves da Silva
Ricardo Bruno Alves da Silva

CAC (Certified Agile Coach) l CSM l CSPO l CLF l MBA l Leader Coach | S@S Practitioner
São Paulo, São Paulo, Brasil

Profissional com carreira desenvolvida na área de tecnologia da informação com mais de 20 anos de experiência;

Implantação de Projetos de T.I em empresas de médio e grande porte, sendo indústria, varejo e serviços com ênfase em frameworks ágeis (Scrum, Kanban e Lean Inception), interações com as áreas internas do negócio e fornecedores;

Liderança e Coach de times multidisciplinares;

Atuação em eliminação de desperdícios (LEAN), melhoria continua, inovação e transformação digital/organizacional;

Experiência em implantação de projetos SAP para indústria e varejo com ênfase em WM, MM e SD.
Atuação nas melhorias dos processos de integração de cupons e notas fiscais de sistemas de PDVs para o SAP;

Experiente em especificação de requisitos, acompanhamentos/key-users/ homologação dos sistemas em conjunto com os usuários;

Administração de fila de chamados;

Definição SLA e criação e implementação indicadores de desempenho gerenciais da área de T.I;

Desenvolvimento aplicações e integrações utilizando tecnologias como C#.NET, Java/JSF, HTML 5, CSS3, Angular e utilização de banco de dados SQL Server.

Conhecimentos técnicos em: Ferramentas (MS Project, Visual Studio, Eclipse, Bizagi, TFS e JIRA);

Linguagens de Programação (Java, C#.NET, PHP, AngularJS, NodeJS, Ruby on Rails e Python) e Banco de dados (Sql Server, Oracle, Mysql, MongoDB e PostgreSQL ).

Formação em Ciências da Computação, com especialização em Gestão de Projetos e MBA em Gestão Estratégica de Negócios;

CONTATOS:

Tel: (11) 97016-6792
E-mail: rbasilva@gmail.com
Linkedin: https://br.linkedin.com/in/ricardo-bruno-alves-silva?trk=author_mini-profile_title

× Como posso te ajudar?